O bilionário Sheldon Adelson voltou a criticar os casinos online durante a G2E Global Gaming Expo que aconteceu ontem, em Las Vegas. Ele disse que não existe razão para os casinos estarem nos bolsos dos cidadãos americanos.

“Você pode não conhecer o seu cliente da Internet”, disse ele. Ele expôs uma situação hipotética envolvendo uma pessoa que se registrou em um casino pelo smartphone e que depois passou o celular para um menor de idade.

A repreensão dura de Adelson aos jogos de azar online ecoou aplausos dispersos da multidão de membros da indústria de casino. Sentado na primeira fila, estava o seu colega bilionário e também magnata do ramo de casinos Steve Wynn, que se pronunciou na noite anterior.

Durante o papo, que abordou temas como destinos internacionais do jogo como Macau e Nova Jérsei, Sheldon Adelson explicou por que ele não estava interessado em disputar uma licença de casino em Boston, tal como Wynn, que ganhou a oportunidade de construir um hotel-casino no centro.

Sheldon Adelson disse que seu modelo de negócios, que inclui hotéis-casinos e espaços de reuniões, não iria funcionar em Boston. Quanto à Nova Jérsei, Adelson disse que estaria interessado em renovar o complexo esportivo Meadowlands no Norte de Nova Jérsei, dependendo do que o governo pretendesse fazer.

Críticos disseram que é pela razão de os casinos online serem competidores dos casinos físicos de Adelson que o magnata é contra os jogos de azar pela Internet. Adelson afirma a sua posição dizendo que não há como saber quem está jogando por trás de uma tela e que não há um jeito eficaz de identificar um jogador compulsivo e de impedi-lo de jogar. Ele também disse que não quer que outras famílias sofram os flagelos dos jogos de azar, assim como aconteceu com a sua família. Adelson afirmou que o seu pai era um viciado em jogo.

Para conhecer melhor magnatas do jogo como Sheldon Adelson e Steve Wynn, leia o artigo Estilo de Vida dos Donos de Casino Mais Ricos do Mundo.